Hábitos - Comentário Max FM 95.9

Todos nós temos hábitos, tanto bons quanto maus. Sempre que fazemos algo automaticamente, com frequência regular, sem conscientemente pensarmos a respeito, então isso é um hábito. Bons hábitos não nos prejudicam e não prejudicam as pessoas com as quais nos relacionamos. Já os maus hábitos podem fazer mal a nós ou a outras pessoas.

Exemplos de bons hábitos são: sermos corteses e bem educados no trato com outras pessoas, sermos ordeiros e organizados, dirigirmos um veículo prudentemente ou escovarmos os dentes. Exemplos de maus hábitos são: roer as unhas, chegar atrasado para reuniões, xingar e usar palavrões. Sempre que um mau hábito é muito difícil ou até impossível de mudar ou abandonar, o chamamos de vício. Exemplos de vícios são: fumar, consumir bebidas alcoólicas ou drogas. Modernamente, ficar colado no smartphone ou não conseguir sair da internet pode ser um vício em tecnologia.

Shakespeare, o famoso escritor inglês, disse o seguinte: “primeiramente criamos os nossos hábitos, depois os nossos hábitos determinam o nosso comportamento”. Sim, porque eles passam a fazer parte de nossa personalidade, do nosso caráter, enfim, da maneira como vivemos a vida. Somos a expressão de nosso comportamento habitual.

Do ponto de vista da psicanálise, praticamos os nossos maus hábitos e vícios sempre que o prazer que temos fazendo isso é maior do que a dor psíquica, ou seja, a culpa que sentimos por termos aquele mau hábito ou vício. 

Mas, então, fica a pergunta: dá para mudar ou abandonar os nossos maus hábitos? A resposta é sim. E como podemos mudar os nossos maus hábitos ou vícios? 

1.    Descubra por que tem e quando pratica um mau hábito ou vício. Analise o seu mau hábito ou vício conscientemente.

2.    Avalie a sua força de vontade de mudar. Aprenda a dialogar consigo mesmo para impor sua razão às suas emoções e desafie sua capacidade de se impor a você mesmo.

3.    Mude para um hábito alternativo menos prejudicial, fazendo isso conscientemente.

4.    Mude o ambiente ou a rotina de exercer seu mau hábito ou vício.