Voto = Felicidade

De tempos em tempos, somos solicitados e, no caso do Brasil, até obrigados a exercer um direito cívico: o de eleger representantes para cargos chave da administração pública.

Esse direito é o mais precioso que um regime democrático de governo nos proporciona. Através do voto, expressamos nossa opinião a respeito de quem queremos colocar em posições de mando e legislativas nos diferentes níveis de governo.

As eleições são o fórum em que nos manifestamos para dizer se gostamos do que foi realizado e da maneira como foi realizado, em se tratando de votar pela reeleição de um político, ou para fazer a nossa aposta na esperança da boa atuação política esperada de um candidato novato.

Em ambas as situações, faremos a nossa escolha a partir das informações que recebemos de diversas fontes, seja no que tange às realizações concretas dos governos que se renovarão, seja como resultado da propaganda eleitoral quando se tratar de julgar as propostas dos candidatos novatos.

A Psicanálise visa a descobrir por que uma pessoa se comporta de uma determinada maneira. A busca dessa explicação se dá no âmbito do inconsciente de nossa psique, visando a causar uma mudança comportamental daquela pessoa, para que ela usufrua mais felicidade em sua vida.

A FELICIDADE é, inquestionavelmente, a principal meta de nossas vidas, comum a todos nós, que deve ser alcançada em várias esferas: na vida pessoal, familiar, profissional, e na esfera pública, ou seja, através de nossa participação na vida da coletividade, auxiliando a formatar a qualidade que a sociedade nacional terá como consequência de sua evolução social.

Somos os principais agentes de nossa felicidade e, através do voto, somos os principais agentes da evolução da sociedade da qual fazemos parte. Quando escolhemos os candidatos mais preparados, contribuímos para o desenvolvimento nacional e para a nossa felicidade individual.